O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de baixa umidade para um total de 157 municípios localizados nas regiões do Agreste e Sertão da Paraíba. O aviso permanecerá em vigor até as 22h do mesmo dia.

De acordo com o Inmet, a umidade relativa do ar nessas áreas pode variar entre 30% e 20%. Nos municípios sob alerta, são previstos impactos na saúde da população, como ressecamento da pele, mucosas e olhos, além de aumento do risco de incêndios florestais.

A baixa umidade do ar é um fenômeno natural que ocorre principalmente em regiões semiáridas, como o Sertão e o Agreste da Paraíba. No entanto, o fenômeno pode ser agravado por fatores como desmatamento, queimadas e mudanças climáticas.

O desmatamento e as queimadas contribuem para a redução da cobertura vegetal, que desempenha um papel importante na manutenção da umidade do ar. As mudanças climáticas, por sua vez, podem levar a uma redução das chuvas, o que também contribui para a baixa umidade do ar.

A alta temperatura e a baixa umidade do ar podem causar uma série de problemas de saúde, como:

  • Desidratação: A pele e as mucosas ficam secas, o que pode levar a sede excessiva, boca seca, tontura, fraqueza e dores musculares.
  • Infecções respiratórias: O ressecamento das vias aéreas pode facilitar a proliferação de bactérias e vírus, aumentando o risco de infecções respiratórias, como gripe, resfriado e pneumonia.
  • Problemas oculares: O ressecamento dos olhos pode causar irritação, coceira e vermelhidão.
  • Problemas de pele: O ressecamento da pele pode causar rachaduras, coceira e vermelhidão.

Para se proteger da baixa umidade do ar, a população deve tomar as seguintes medidas:

  • Beber bastante líquido, principalmente água.
  • Evitar exposição ao sol, principalmente entre 10h e 16h.
  • Usar roupas leves e ventiladas.
  • Usar protetor solar e chapéu.
  • Manter a casa ventilada.
  • Evitar exercícios físicos ao ar livre durante o dia.

Em caso de sintomas de desidratação, como sede excessiva, boca seca e tontura, é importante procurar um médico.

Além das medidas individuais, é importante que a população também tome medidas coletivas para reduzir os impactos da baixa umidade do ar. Essas medidas incluem:

  • Combater o desmatamento e as queimadas.
  • Plantar árvores e arbustos.
  • Construir cisternas para armazenar água.
  • Adotar medidas de eficiência hídrica.

A baixa umidade do ar é um problema sério que pode ter impactos significativos na saúde da população. É importante que a população esteja ciente dos riscos desse fenômeno e tome medidas para se proteger.

Aqui estão alguns exemplos específicos de como a baixa umidade do ar pode afetar a saúde da população:

  • Um estudo realizado na cidade de Campina Grande, na Paraíba, mostrou que a baixa umidade do ar pode aumentar o risco de morte por doenças respiratórias.
  • Outro estudo, realizado na cidade de São Paulo, mostrou que a baixa umidade do ar pode aumentar o risco de infecção por conjuntivite.
  • Um terceiro estudo, realizado nos Estados Unidos, mostrou que a baixa umidade do ar pode aumentar o risco de alergias.

É importante ressaltar que a baixa umidade do ar pode afetar a saúde de todas as pessoas, independentemente da idade ou do estado de saúde. No entanto, as pessoas mais vulneráveis a esse fenômeno são as crianças, os idosos e as pessoas com doenças crônicas.

A população deve estar atenta aos alertas de baixa umidade do ar emitidos pelo Inmet. Esses alertas são importantes para que as pessoas possam tomar medidas para se proteger desse fenômeno.

Além das medidas individuais e coletivas mencionadas acima, é importante que a população esteja ciente dos seguintes fatores que podem agravar os efeitos da baixa umidade do ar:

  • Exposição ao sol: A exposição ao sol aumenta a perda de água pelo corpo, o que pode agravar os efeitos da baixa umidade do ar.
  • Exercícios físicos: Os exercícios físicos ao ar livre durante o dia podem aumentar o risco de desidratação e outros problemas de saúde relacionados à baixa umidade do ar.
  • **Uso de medicamentos

Lista de Cidades em Alerta:

Água Branca
Aguiar
Alagoa Nova
Alcantil
Algodão de Jandaíra
Amparo
Aparecida
Areia de Baraúnas
Areial
Aroeiras
Assunção
Baraúna
Barra de Santana
Barra de Santa Rosa
Barra de São Miguel
Belém do Brejo do Cruz
Bernardino Batista
Boa Ventura
Boa Vista
Bom Jesus
Bom Sucesso
Bonito de Santa Fé
Boqueirão
Brejo do Cruz
Brejo dos Santos
Cabaceiras
Cachoeira dos Índios
Cacimba de Areia
Cacimbas
Cajazeiras
Cajazeirinhas
Camalaú
Campina Grande
Carrapateira
Casserengue
Catingueira
Catolé do Rocha
Caturité
Conceição
Condado
Congo
Coremas
Coxixola
Cubati
Cuité
Curral Velho
Damião
Desterro
Diamante
Emas
Esperança
Fagundes
Frei Martinho
Gado Bravo
Gurjão
Ibiara
Igaracy
Imaculada
Itaporanga
Itatuba
Jericó
Joca Claudino
Juazeirinho
Junco do Seridó
Juru
Lagoa
Lagoa Seca
Lastro
Livramento
Mãe d’Água
Malta
Manaíra
Marizópolis
Massaranduba
Matinhas
Mato Grosso
Maturéia
Montadas
Monte Horebe
Monteiro
Nazarezinho
Nova Floresta
Nova Olinda
Nova Palmeira
Olho d’Água
Olivedos
Ouro Velho
Parari
Passagem
Patos
Paulista
Pedra Branca
Pedra Lavrada
Piancó
Picuí
Pocinhos
Poço Dantas
Poço de José de Moura
Pombal
Prata
Princesa Isabel
Puxinanã
Queimadas
Quixaba
Remígio
Riacho de Santo Antônio
Riacho dos Cavalos
Salgadinho
Santa Cruz
Santa Helena
Santa Inês
Santa Luzia
Santana de Mangueira
Santana dos Garrotes
Santa Teresinha
Santo André
São Bentinho
São Bento
São Domingos
São Domingos do Cariri
São Francisco
São João do Cariri
São João do Rio do Peixe
São João do Tigre
São José da Lagoa Tapada
São José de Caiana
São José de Espinharas
São José de Piranhas
São José de Princesa
São José do Bonfim
São José do Brejo do Cruz
São José do Sabugi
São José dos Cordeiros
São Mamede
São Sebastião de Lagoa de Roça
São Sebastião do Umbuzeiro
São Vicente do Seridó
Serra Branca
Serra Grande
Soledade
Sossêgo
Sousa
Sumé
Taperoá
Tavares
Teixeira
Tenório
Triunfo
Uiraúna
Umbuzeiro
Várzea
Vieirópolis
Vista Serrana
Zabelê

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *